Os profissionais da Engenharia, em suas mais diversas modalidades, estão prestando sua contribuição técnica ao enfrentamento do Covid-19.

Diante desta situação de risco, a Associação Brasileira de Engenheiros Mecânicos (Abemec-RS) está elaborando uma série de artigos técnicos para prestar orientações e esclarecimentos à sociedade.

O primeiro artigo, escrito pelo Eng. Mec. e Seg. Trab. Luciano Grando, visa ressaltar a necessidade da continuidade à manutenção dos elevadores , presentes na maioria das edificações, com destaque em hospitais, centros clínicos, indústrias, supermercados, para uso de passageiros e cargas.

Segundo o Eng. Grando, o conteúdo deste artigo visa alertar para a importância da continuidade da manutenção desses transportes verticais, fornecendo orientações para prevenção dos riscos relacionados ao COVID-19, recomendações complementares às orientações das autoridades competentes. Inclusive orienta, com ilustrações, os procedimentos que podem ser adotados pelos prestadores dos serviços e pelos responsáveis pela contratação (síndicos e administradores), visando minimizar os contatos interpessoais.

O serviço de manutenção em elevadores é essencial e inadiável para manter este meio de transporte em funcionamento, e evitar transtornos ou acidentes, tais como pessoas presas dentro do elevador.

Entre as orientações acerca da manutenção, constam:

–  Necessário realizar manutenção preventiva, corretiva e atendimento de chamados.

–  Manter a periodicidade das manutenções preventivas, exceto para casos específicos definidos pelo responsável técnico.

–  Restringir àquelas atividades realizadas na casa de máquinas e sobre a cabina.

–  Suprimir atividades realizadas nos pavimentos, dentro da cabina, limpeza do poço e da casa de máquinas.

–  Manter equipe de atendimento 24hs, para atendimento de chamados e emergências.

–  Manter peças de reposição, através das fábricas, centros de distribuição e almoxarifados.

Entre as medidas de prevenção e controle de risco de contágio:

–  Realizar atividades desacompanhado (sozinho).

–  EPIs dos trabalhadores: uniforme calça e camisa manga longa, crachá de identificação, boné casquete ou capacete, óculos de proteção, luvas, calçado de segurança e máscara de pó.

–  Disponibilizar lavatório para o trabalhador, antes e após os serviços.

–  Atividades devem ser realizadas na casa de máquinas e sobre a cabina.

–  Evitar realizar atividades no interior da cabina, nos pavimentos e no poço dos elevadores. Postergar atividades de limpeza ou remoção de produtos e peças antigas que estejam nos locais (peças substituídas, óleo e estopa usados e outros).

–  Se necessário realizar atividades nos pavimentos, promover o isolamento dos locais com barreiras, atendendo o distanciamento social recomendados pelas autoridades, bem como promover a abertura de janelas e portas para ventilação do local de trabalho.

–  Entrega e recebimento da chave da casa de máquinas utilizando álcool gel para higienização.

–  Entrega de documentos e comprovantes dos serviços por meio eletrônico, evitar assinaturas em formulários de papel durante as atividades.

–  Deslocamento dos técnicos individual através de veículo próprio da empresa, ou transporte individual (táxi, aplicativo).

–  Uso dos elevadores de forma individual, ou pessoas da mesma habitação/família, com áreas de acesso ventiladas (hall dos pavimentos).

Leia o artigo na íntegra.

Fonte: http://www.crea-rs.org.br/site/index.php?p=ver-noticia&id=6101